• Futebol em Rede

VITÓRIA DO FUTEBOL


O ameaçado jogo entre Palmeiras e Flamengo aconteceu. Para a surpresa de muitos, foi o melhor jogo da rodada. Em campo o Palmeiras com força máxima e um Flamengo com problemas sim, mas com dignidade. Jogo movimentado e bom de assistir. Jogadas muito melhores do que as tentadas nos bastidores e até uma revelação inesperada. Hugo ( Foto – Divulgação ), terceiro goleiro do Flamengo, justificou ser lembrado para treinos na seleção brasileira aos 21 anos. Outra lição do futebol, nome não ganha jogo.


Em campo o favoritismo do Palmeiras não se justificou. Os defeitos de sempre, pouca criação no meio campo e um time que faz atacante sofrer de isolamento. Já o Flamengo entrou com uma estrutura bem organizada no meio de campo e fez ser notada a diferença entre os times. Honrou a tradição do clube e lutou. Vendeu caro o empate e deixou o campo com a sensação de que nome não ganha jogo. Lição para os dois times. Empate justo. O Palmeiras nada fez para merecer a vitória e o Flamengo não merecia perder o jogo.


O futebol venceu a “esperteza” de alguns dirigentes. É preciso deixar claro que a pandemia existe, é um problema mundial e que a volta do futebol, sem público, é uma alternativa aceita por todos os clubes envolvidos e com riscos conhecidos. Quando existe um caso em que a pandemia atinge um clube, sou favorável à paralisação da competição. Porém, não foi essa a alternativa radical aceita pelos clubes e CBF. Na rodada inaugural, o Goiás teve problemas e fui favorável ao adiamento dos jogos. Com o Flamengo foi diferente e existem razões para questionar a postura da direção do clube.


O Flamengo adotou postura negacionista diante da pandemia por interesses políticos. Mesmo tendo Jorginho, histórico funcionário do clube, vítima fatal da pandemia, forçou e brigou pela volta do futebol, inclusive com o Campeonato Carioca voltando antes dos demais. Recebeu como prêmio um patrocínio, coincidência de banco de Brasília, e uma tentativa de lei para favorecer, como mandante, a negociação de transmissão de seus jogos. Defende a volta de torcedores aos estádios, sem isonomia, para obter mais vantagens. Mesmo que custe vidas.


Essa é a postura do clube. Seus interesses acima da saúde pública e do bom senso, inclusive com seus adversários. Depois de levar uma chinelada do Independiente Del Valle na Libertadores, baixou a imunidade do elenco. Os casos anunciados deveriam preocupar o Flamengo, mas as fotos de jogadores sem máscara que renderam a demissão do fotografo do clube revelam possível “descaso”. Não sou médico e acredito na honestidade dos exames realizados pelo elenco do Flamengo. Porém, acho muito oportunista as ações do clube para adiar jogo no Brasileiro e não ter o mesmo esforço para adiar jogo da Libertadores em poucos dias de diferença entre os jogos.


Tomara queime minha língua e veja o Flamengo honrar sua tradição e ter o mesmo esforço para adiar jogos de competições diferentes. Deixaria de ser oportunista e seria justificável. Seria melhor ainda se o clube abandonasse a pressão por volta de público aos estádios, após o “surto” de infectados no elenco. Seria uma atitude inteligente. A pandemia que assola o planeta é coisa séria. Não pode servir à interesses políticos ou a posturas oportunistas. As atitudes incoerentes e oportunistas dos bastidores envergonham a nação rubro-negra. No entanto, a garra e a demonstração de superação do elenco no jogo contra o Palmeiras, provam que o Flamengo é muito mais do que um grupo de desastrados no poder do clube.