• Luís Carlos Quartarollo

Os pecados de Luxemburgo

Os pecados de Luxemburgo. Que Vanderlei Luxemburgo foi um técnico vencedor não tenho dúvida. Ele foi o que hoje se chama de moderno. Tinha ótimas ideias táticas, melhorava o time, melhorava o jogador, mas parece que não percebeu que todos os seus conhecimentos só valem colocados em prática usando as ferramentas atuais. É preciso andar para frente.



Tenho certeza que não esqueceu como se comanda um time, como se busca vitória, mas parece se colocar numa bolha distante da realidade. A sua coletiva pouco antes do anúncio da demissão do Palmeiras mostrou que estava totalmente fora da realidade ou totalmente alienado. Não entendeu a situação. Quando o árbitro apitou o fim do jogo Palmeiras 1 x 3 Coritiba eu estava no ar com os meus amigos dos Tops da Bola, Weber Lima, Zetti e Vagner Prado e não disse "O jogo acabou, eu disse Luxemburgo caiu"



É claro que naquele momento ele ainda era o técnico, mas só quem não conhece o Palmeiras, ou o futebol brasileiro, para não saber que ele estava fora. Não tinha jeito. Três derrotas seguidas sendo duas dentro de casa e a última salvando um time ruim da Zona do Rebaixamento. O Palmeiras não conseguia mais jogar com Luxemburgo. Os jogadores fizeram corpo mole para derrubar o técnico? Duvido. É que há momentos que o discurso não cola mais, os resultados não aparecem e sobra para o treinador.



Tenho grande respeito pelo profissional, pelo homem e pela história do Luxemburgo, mas há momentos que ele se perde nas palavras. Não tem nada que ficar dizendo que ganhou a Flórida Cup, isso não é para colocar no currículo de um técnico tão vencedor. A não ser que queira desviar o foco de um trabalho que não saiu do lugar.



O Campeonato Paulista merece ser lembrado como conquista, mas todos sabem que hoje está desvalorizado, embora ainda seja o melhor estadual do país. É claro que é bom vencer um Paulista contra seu principal rival, mas isso não significa um grande trabalho. Aproveitar a entrevista pós jogo para alfinetar técnicos estrangeiros, ou críticos, porque ganhou o Paulista é outra demonstração da fase alienada do Luxemburgo. Ele devia ser mais humilde e reconhecer que tinha muito trabalho pela frente.



Não adianta esbravejar depois de derrotas pedindo reforços entendendo que o elenco estava se desfazendo. Devia passar isso para a torcida muito antes. Ele, mais do que ninguém, sabia que ia acontecer. Começar a dizer que o elenco tinha dificuldades também foi um erro bobo de um cara tão experiente.



Em suma, Vanderlei Luxemburgo nunca assumiu sua parte na culpa. Quando ganhou se colocou num pedestal que não era mais seu, acima dos outros técnicos, e quando não conseguiu jogar bem ou foi derrotado, começou a alfinetar o elenco e de resto a diretoria. Só disse que também tinha culpa na sua última entrevista. Ai já era tarde, a culpa já o tinha derrubado do pedestal invisível em que se colocou.



Entre seus pecados teve também coisas boas. O lançamento dos garotos da base devem dar frutos lá na frente e com muita justiça poderá colocar isso no seu currículo vencedor. A diretoria também tem que assumir sua parte. Vendeu jogadores, foi esvaziando o elenco e pediu uma reformulação com a base, mas não sustentou o treinador e sozinho ele se perdeu.



É uma pena. Achei que Vanderlei ainda poderia contribuir com o Palmeiras e com o futebol brasileiro, mas agora penso que será difícil voltar para um grande time para fazer novamente um grande trabalho. Tomara que não, mas essa volta ao Verdão deve ter sido sua última chance de recuperar sua vitoriosa carreira. Lamento.