top of page
  • Foto do escritorFutebol em Rede

OPORTUNISMO E REALIDADE


A sociedade precisa apreender a reagir às agruras dos nossos tempos. Sou favorável a qualquer tipo de conscientização, marketing inclusive, para combater e educar em episódios contra o racismo. Porém, mais do que palavras elaboradas, campanhas que chamem a atenção, é preciso uma base de credibilidade no que é feito. O risco é transformar uma boa ação em oportunismo e ironia.


Em meio ao escândalo espanhol que envolve Vinícius Júnior e o racismo, a CBF resolveu agir. Creio que faz parte do papel da entidade defender posições contra a ilegalidade e atos de violência. Considero a campanha uma ação interessante. No entanto, vejo ironia e oportunismo. Incomoda saber que até o momento as ações sobre o tema foram relapsas. Poucos foram punidos. Sanções de difícil fiscalização e pior, criam situações que amenizam clubes, torcidas organizadas e quando punem alguém, parece que o infrator era a vítima.


Onde estava a CBF nos outros episódios bárbaros de racismo? Acordou com Vinícius Júnior? Sim, dos males o menor. Não deixa de ser irônico ou oportunista a ação, mesmo que tenha no fundo de algo positivo. COM RACISMO NÃO TEM JOGO!!! Ótimo, mas seja fiel ao lema. A seleção brasileira NÃO PODE JOGAR NA ESPANHA. A leitura certa da campanha passa a ser COM RACISMO E COM JOGO. Pelo menos faça aquilo que prega. Nem precisa cancelar o amistoso caça-níquel, basta jogar em outro lugar.


Acho ótimo e inteligente colocar vídeos com artistas e personalidades para conscientizar sobre o tema. Seria mais adequado, na minha visão, que jogadores (brancos, negros, mulheres, árbitros e treinadores) estivessem nos vídeos. São mais próximos do alvo. A diferença está no prestígio que a CBF busca ilustrando a campanha com artistas. Sentar-se, no gramado antes do jogo, assim como ajoelhar na Premier League, considero boa solução para fixar a ideia da campanha.


Fazer o que prega é o caminho. No dia da convocação para os amistosos na Europa, o presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues (Foto/Crédito – CBF), sentou-se no pudim. Fez menção a ato racista, não se sabe de quem, até o fechamento do texto nada foi explicado. Racismo é crime. Deve ser combatido, denunciado e punido. Fazer mistério ou insinuar ato racista sem denunciar, soa como compactuar com o crime e na pior das hipóteses parece oportunismo. Fazer o que prega, merece respeito e admiração. Pregar o que não faz, puro oportunismo.



Commentaires


bottom of page