top of page
  • Foto do escritorFutebol em Rede

MINAS SUBIU O SARRAFO


O futebol mineiro está em alta. O Atlético MG é a grande estrela com dois bicampeonatos na temporada (Brasileiro e Copa do Brasil). Outro feito inédito, pela primeira vez na história, o América MG disputará uma Libertadores. A lamentar, o desempenho do Cruzeiro que permanece na série B, mas ganhou um presente de Natal e esperança com a compra do clube por Ronaldo Fenômeno. O fato marcante, os mineiros igualaram os gaúchos em títulos nacionais na elite.


Esquentou a briga entre mineiros e gaúchos pela terceira força do futebol nacional. Estão empatados com cinco títulos e nove vices, mas como critério de desempate, Minas Gerais fica na frente por ter o título mais recente. Na década os mineiros venceram três vezes o Brasileiro. Uma bela arrancada. O último título gaúcho aconteceu com o Grêmio há 25 anos. Apesar de distante de Rio e São Paulo, o sarrafo de Minas Gerais no futebol brasileiro está mais alto e existem motivos para otimismo.


A demonstração de força do Atlético MG dentro de campo, com a conquista da tríplice coroa (Mineiro/Brasileiro/Copa do Brasil), dá motivos para sonhar alto. O time dirigido por Cuca só não chegou na final da Libertadores porque parou no Palmeiras na semifinal, com dois empates. Fora de campo, o Galo constrói estádio próprio, aumenta patrimônio e ganha status de gigante. Tem forte patrocínio, elenco e jovens promissores para o mercado internacional. Bem administrado, deve chegar longe.


O surpreendente América MG, em menos de dois anos na elite nacional, chegou na Libertadores. O clube anunciou adesão à sociedade anônima do futebol e acredita-se em investimentos bem superiores no futebol, mesmo com as incertezas que a nova fórmula mágica de captar dinheiro no futebol brasileiro. Dá até para brincar com o termo terceira força, colocando o rival Cruzeiro, em crise financeira, em estado de alerta para não perder espaço.


É verdade que o vencedor Cruzeiro anda dando mole. Permanece na série B nacional e está bem longe de entusiasmar seu torcedor. Numa comparação com outro gigante gaúcho, o Grêmio rebaixado nesta temporada para a mesma divisão, existe otimismo. Vanderlei Luxemburgo continua como treinador, o clube aderiu à “mágica” da sociedade anônima e revelou como presente de Natal o nome do sócio majoritário, Ronaldo Fenômeno.


Solidificado, o Atlético MG é a aposta mais certeira de novas conquistas esportivas. Mesmo com as incertezas que a tal sociedade anônima no futebol gera, ainda não se sabe como vai funcionar na prática, América MG e Cruzeiro, devem ter mais recursos e prometem reação. O pão de queijo está na moda. Os gaúchos com o chimarrão na mão, ficaram para traz. Subiu o sarrafo do futebol mineiro.

Comments


bottom of page