top of page
  • Foto do escritorFutebol em Rede

FOI TARDE


O Botafogo demitiu o treinador português Bruno Lage (Foto/Crédito - FogãoNET). Esperou demais para tomar a atitude. Na derrota para o Flamengo no Nilton Santos, o treinador entregou o cargo. Não admitia pressão e questionamentos. Chegou a dizer que abdicava de prêmios garantidos e fez questão de afirmar que era treinador de Liga dos Campeões e UEFA. Contratá-lo para suprir a saída de Luís Castro foi um erro que pode comprometer o sonhado título brasileiro.


Bruno Lage nunca foi treinador de primeira linha. Ganhou uma Liga em Portugal pelo Benfica (2018/2019) e mais nada. É bom deixar claro que Luís Castro, mais rodado, também não figura na prateleira de grandes treinadores. São apostas ou modismos do futebol brasileiro, encantado com os portugueses Jorge Jesus (Flamengo) e Abel Ferreira (Palmeiras). Os inspiradores deram a sorte de comandar times com alto investimento e elenco. Castro superou críticas e deu padrão de jogo ao Botafogo, com resultados surpreendentes e valorização.


Acertar na importação de treinadores portugueses não é a regra, é exceção. Poucos compreendem a cultura do futebol brasileiro, as diferenças de calendário e as pressões por resultados. Chegam com a falsa ideia de colonizadores. Donos de “verdades”. São desbravadores. Pouco importa que o Brasil é cinco vezes campeão do mundo e tem histórico muito superior do que o país de origem. Seus métodos são infalíveis e os problemas locais são imperfeições culturais.


Bruno Lage é o típico treinador interino que conseguiu breve sucesso no Benfica. No Wolverhampton, perdeu mais do que ganhou (22 X 19), em 51 jogos. Aproveitamento baixo e semelhante ao que conseguiu no Botafogo (43% na Inglaterra e 45 % no Brasil). Escolhas erradas como escalar reservas numa competição e fazer apostas piores noutra. Tirar o artilheiro do time, Tiquinho Soares, ídolo da torcida do jogo contra o Goiás, quando o time precisava de gols e vitória, foi insuportável.


O substituto de Luís Castro comprometeu um título brasileiro evidente. A diferença e pontos e aproveitamento teve queda desastrosa. O Botafogo, terá pela frente seus principais perseguidores (Palmeiras, Grêmio e Bragantino). A confiança está abalada. Inseguro, Bruno Lage transformou a calmaria em mar revolto. Ele implodiu o que considero um “milagre” do antecessor. Contratá-lo só por causa da inspiração em exceções portuguesas foi um erro, grave, que pode custar caro.



Bình luận


bottom of page