• Futebol em Rede

Felipe Melo expulso, um verdadeiro show de horrores

Felipe Melo expulso, A simples confirmação da classificação do Palmeiras na Libertadores virou uma tormenta. O adversário fraquíssimo veio só para cumprir tabela. Porém, uma série de trapalhadas transformou o jogo numa tortura. Felipe Melo (Foto) foi o estopim de uma noite maluca. Com míseros três minutos de jogo, o valentão jogou as travas da chuteira contra o adversário. Tomou amarelo e vermelho assim que a ficha caiu na cabeça do árbitro.

É inacreditável. Houve quem aplaudisse o valentão que prejudicou o seu clube, deixando em desigualdade numérica a equipe e jogando no ralo todo o planejamento de jogo. Felipe Melo poderia ser bom jogador. Sabe jogar, marca bem, mas assumiu um personagem, o predador. Joga com adereço na mão para anunciar sua presença. Confunde ser viril com ser violento e extrapola fora de campo ao enfrentar e bater boca com jornalistas. Na pratica é um personagem de algum desequilíbrio. Poderia ser um jogador prestativo, virou um fardo. Dizem que no grupo, como pessoa, é um excelente companheiro. Alguém poderia aconselha-lo a procurar ajuda psicológica.

Depois de avacalhar o jogo simples com a expulsão, o Palmeiras deixou o fraco Cerro Porteño brincar com a bola. O time de Felipão até arriscou umas investidas no contra-ataque, mas abandonou o protagonismo do jogo. Aconteceu de tudo, choque de cabeças, ambulância em campo e até gol fantasma. O Cerro Porteño fez um gol espirita num cruzamento errado que acabou com a bola dentro da rede. Mesmo com um rival inofensivo, o clima esquentou. Deyverson foi expulso por simulação, gandula sumiu com a bola, teve um bem conhecido que até foi provocar fotografo atrás do gol.

Para culminar com o show de horrores, fim do jogo, a classificação dada como certa, incontestável desde o primeiro jogo, ganhou comemoração da torcida. Em campo jogadores abraçados comemorando uma atuação pífia como se fosse épica. Simplesmente inacreditável. O Palmeiras é infinitamente superior ao adversário. Jogasse um pouco de bola, vencia com facilidade. Foi prejudicado pela irresponsável expulsão de um jogador no início do jogo. Passou sufoco inexplicável. Estaria classificado até por osmose. Conseguiu perder o jogo. Não dá para entender tanta comemoração num show de horrores.