• Futebol em Rede

FALTOU O PROTAGONISMO


A Juventus é o time mais rico da Itália e o nono mais rico do mundo. Só disputar a final da Copa da Itália contra a Internazionale, estar longe da briga pelo Scudetto e ter como garantia mínima a vaga na Liga dos Campeões da próxima temporada, é sinal de frustração em Turim. Para piorar, jogadores em final de carreira e a principal estrela, de malas prontas para um rival. Depois de nove títulos seguidos na Itália, faltou protagonismo para a Velha Senhora.


Nem a volta do vitorioso treinador Massimiliano Allegri na vaga do ídolo Andrea Pirlo, rendeu sorrisos para o torcedor. Allegri venceu cinco dos nove últimos títulos nacionais do time. Porém, pegou uma equipe envelhecida, com perda de nomes importantes e desmotivada. O maior exemplo de falta de motivação é Dybala. O argentino de 28 anos, ainda um ídolo no clube, não teve proposta de renovação de contrato, não quer deixar o futebol italiano e livre no mercado, acena uma transferência para a Internazionale, justo o rival do único título que a Juventus pode ganhar na temporada.


Os veteranos da zaga, também tem futuro incerto. Bonucci, 35 anos, ainda não acena despedida. No entanto, Chiellini de 37 anos, já anunciou aposentadoria da seleção e a renovação de contrato é incerta. Tudo indica, a Juventus terá que passar por uma reformulação obrigatória. E vai precisar de reforços, depois de uma investigação de superfaturamento na atual temporada. A investigação não deu em nada, ninguém provou que houve irregularidade nas regras “duras” do futebol italiano, mas todos ficarão de olho no montante a ser investido após as saídas de Dybala e Chiellini, sem dinheiro novo entrando nos ricos cofres de Turim.


Um time com dinheiro e com o histórico da Juventus, vai precisar reagir. São 36 títulos nacionais, foi o único representante italiano em finais da Liga dos Campeões da Europa na última década, uma força nada desprezível que teve e deixou sair Cristiano Ronaldo, Dybala, entre outros. Pelo que representa na Europa, a Juventus não pode ser um simples coadjuvante como na atual temporada. Protagonismo é o mínimo que se espera. A Juventus comumente chamada de La Vecchia Signora já foi conhecida como La Signora Omicidi (Senhora Assassina), hoje só justifica o apelido I Bianconeri (Os Brancos e Pretos) e não pode virar apenas La Zebre (As Zebras).