top of page
  • Foto do escritorFutebol em Rede

ABEL FERREIRA, REAÇÃO DESCABIDA


O Palmeiras foi eliminado da Libertadores pelo Boca Juniors, nos pênaltis. Por méritos, o time brasileiro era favorito à vaga na final. Jogou diante da torcida e o resultado frustra, o competente treinador português Abel Ferreira (Foto/Crédito – Portal da Torcida). Justamente nos momentos de derrota, torcedores e imprensa, buscam explicações com o responsável pelo time. Ele é o treinador, ele o intérprete supremo do fato. Intolerância nessa hora é uma reação descabida e inoportuna.


Partir para o enfrentamento, para desqualificar os questionamentos é uma prova de imaturidade. Ninguém tira os méritos de seu brilhante trabalho. Questionar é procurar respostas para aquilo que não deu certo. Por isso ele é o treinador, o responsável máximo pelos títulos e pela eliminação. Afinal de contas, usando suas próprias palavras: “o time ganha e perde com as ideias dele e não dos outros”.


O destempero nos momentos de derrota, muitas vezes também dentro do campo de jogo, virou uma característica marcante de Abel Ferreira, quase uma arrogância inconveniente. Em todo o mundo, insultar questionamentos é detestável. É chamar para o confronto, sem necessidade. É perder a razão, como minha avó sempre defendeu.


Ao dizer que a imprensa brasileira é conhecida em todo mundo por insultar jogador e treinador, ele passou do limite e partiu para a briga. Sim, o treinador tem uma visão do futebol diferente da torcida e da imprensa. Deveria ser mais compreensível e didático com sua visão especializada diante do pobres mortais. Fazer o melhor com os recursos que dispõe e buscar vitorias no futebol não é virtude, é OBRIGAÇÃO do treinador.


Abel Ferreira tem razão ao reclamar do pouco tempo de acréscimo no jogo, foi patético. Também é real o fato que ao subir o sarrafo de conquistas, fica muito difícil justificar entrega menor. Esteve correto em afirmar que o goleiro adversário teve peso no resultado. Porém, perdeu a razão pela postura agressiva e arrogante. Desculpe Abel, mas durma na cama que você fez e não justifique apontando a cama dos outros.


O Palmeiras enfrentou um adversário mais fraco. No jogo da ida, foi defensivo. No jogo da volta teria o dever de ser agressivo desde o início e só reagiu no segundo tempo quando o adversário teve um jogador expulso e apostou em sangue novo, nos garotos. Por isso, você foi questionado. Erro de estratégia? Poderia ser melhor? Qual a avaliação do especialista Abel Ferreira? Explique aos mortais e fim de papo. A imaturidade na derrota ofusca a competência na vitória. Sua agressividade, manda para o ralo, o desejo de compreender os fatos sem desqualificar seu excelente trabalho técnico. Sua atitude foi uma reação descabida de inteligência.



Comments


bottom of page