top of page
  • Foto do escritorFutebol em Rede

SOCIEDADE ESPORTIVA LEILA PEREIRA


De burra ela não tem nada.

No momento em que escrevo esta coluna, faltam apenas 9 dias para o fechamento da janela de transferências internacionais para o futebol brasileiro. Isso significa que qualquer clube que dispute uma das quatro divisões do País tem somente este prazo para reforçar sua equipe com jogadores, estrangeiros ou não, que atuem em outras ligas. E no que diz respeito à divisão maior da bola tupiniquim, apenas um time – paradoxalmente um dos mais ricos - não apresentou nenhuma novidade até aqui: o Palmeiras.

Mesmo com os cofres cheios graças a todas as receitas recebidas nos últimos anos (arrecadações, premiações, patrocínios, venda de direitos econômicos de atletas, etc.), a postura da presidente Leila Pereira tem sido nula neste sentido. Nem mesmo a eliminação na Copa do Brasil para um dos principais rivais fez com que ela mudasse de ideia em relação a reforçar a equipe, tanto que vários jogadores – em sua maioria volantes – foram cogitados mas nenhum, até este momento, anunciado. E a desculpa é sempre a mesma: ou o clube ao qual ele pertence pediu valores estratosféricos para liberá-lo ou, então, foi o próprio atleta que exigiu uma grana preta (ou seria uma grana verde?) para se tornar palmeirense.

O que o torcedor do Verdão ainda não percebeu é que tudo não passa de uma inteligente estratégia adotada pela líder alviverde. Mesmo que já não tenha ganhado a Copa do Brasil e, talvez, também não consiga levar o Brasileiro e a Libertadores, o Palmeiras já faturou dois canecos na temporada – o do Campeonato Paulista e, claro, o mais importante, o da Supercopa do Brasil. Ou seja: não se pode dizer que 2023 foi ruim pelos lados da Academia de Futebol, certo?

Além disso, a dirigente sonha em ser reeleita por mais um triênio à presidência do clube nas eleições que acontecerão em dezembro de 2024. Desta forma, é muito mais astuto para ela esperar a próxima temporada e, aí sim, reforçar o Palmeiras com nomes de peso para ter maiores chances de faturar mais títulos no ano em que acontecerá o pleito, o que obviamente facilitaria em muito a sua reeleição. Agindo desta forma, a dirigente nada mais faz do que fazem e fizeram todos os seus colegas em todos os tempos: coloca seus interesses pessoais à frente dos do clube que preside.

Senhoras e senhoras: com vocês, a Sociedade Esportiva Leila Pereira.

­­­­­­­­­Márcio Trevisan é jornalista esportivo há 34 anos. Escritor com cinco livros publicados, começou no extinto jornal A Gazeta Esportiva, onde atuou por 12 anos. Editou várias revistas, esteve à frente de vários sites, fez parte de mesas redondas na TV e foi assessor de Imprensa da S. E. Palmeiras e do SAFESP. Há 17 anos iniciou suas atividades como Apresentador, Mestre de Cerimônias e Celebrante, tendo mais de 450 eventos em seu currículo. Hoje, mantém os sites www.senhorpalmeiras.com.br e www.marciotrevisan.com.br. Contatos diretos com o colunista podem ser feitos pelo endereço eletrônico apresentador@marciotrevisan.com.br.



Comments


bottom of page