• Futebol em Rede

Weverton dribla a desconfiança


Weverton dribla a desconfiança no Palmeiras. O goleiro titular do Verdão é bem rodado. Weverton ( Foto – Divulgação ), tem 32 anos, jogou por vários clubes e foi ganhar destaque no Athlético PR. O ponto principal da carreira ocorreu na seleção olímpica, medalha de ouro em 2016. Parecia obra do acaso, ele foi convocado graças ao corte de Fernando Prass e acabou entrando para a história defendendo pênalti na decisão. Ele deu uma “mãozinha” para Neymar sacramentar o ouro olímpico.


Até a decisão olímpica, Weverton era um goleiro esforçado, sem muito brilho. Foi campeão brasileiro pelo Palmeiras em 2018 como uma solução entre três goleiros. Mesmo com boas atuações, sempre ficou a incerteza se ele seria a solução ideal para a posição num clube onde é tradicional a presença de grandes goleiros. O fato de ter atuado pelo Corinthians e Portuguesa, sem destaque, contribuiu para a desconfiança.


Weverton, aos poucos, prova o seu valor. Contra a Ponte Preta, foi um dos responsáveis pela vitória, com boas defesas. Ainda não atingiu o patamar dos grandes goleiros do Palmeiras. Porém, discreto, vai subindo degraus em direção ao reconhecimento. Talvez falte para ele no clube, um lance marcante como o pênalti defendido na decisão olímpica. Suas qualidades já estão sendo notadas e apesar da idade, a desconfiança do torcedor palmeirense vai ficando para traz.