• Futebol em Rede

UEFA DESISTIU DA ZORRA TOTAL NA EUROCOPA

Muita geste gosta de apontar bons exemplos do Futebol Europeu para indicar a salvação em outros lugares do planeta. É verdade que a questão de organização, na maioria absoluta das vezes, merece ser observada. Porém, nem tudo é um mar de tranquilidade. A próxima Eurocopa, 2020, será disputada em absurdas 12 cidades diferentes da Europa. Nem um inventivo brasileiro conseguiria um carnaval tão grande. Jogos em Londres, Munique, Roma, Baku, São Petersburgo, Bucareste, Amsterdã, Dublin, Bilbao, Budapeste, Glasgow e Copenhague. Antes que o amigo imagine uma agencia de turismo como patrocinadora do torneio, a justificativa para tamanho absurdo foi a comemoração dos 60 anos da competição. A abertura será em Roma e o encerramento em Londres. O fato, a Eurocopa virou um monstrengo. Fosse num determinado país da América Latina, eu poderia desconfiar que a ideia iria render um bom dinheiro para alguém. Como é na Europa, vamos usar a boa vontade para afirmar que muitos irão perder dinheiro. Ficou absolutamente inviável a logística da competição. Ainda estamos longe da abertura e do evidente fracasso financeiro da empreitada. Para aqueles que adoram apontar exemplos de eficiência na Europa, essa Eurocopa vai virar motivo de apreensão. O bom é que pelo menos lá, o fracasso dura pouco. Já para a Eurocopa de 2024, a UEFA usou o bom senso e anunciou uma única sede. A Alemanha venceu a Turquia e vai sediar a competição com a obrigação de salvar custos e retomar o processo de civilidade do torneio. Não há mal que dure para sempre.