• Futebol em Rede

“TITIA” LEILA SE PREPARA: PRESIDIRÁ O PALMEIRAS


Olá amigos

Esta semana próxima em um jantar que será oferecido a Conselheiros do Palmeiras, a “titia” Leila Pereira confirmará e lançará a sua candidatura para presidir a Sociedade Esportiva Palmeiras. Entrará para a história: A PRIMEIRA MULHER A DIRIGIR O CLUBE.

Marlene Matheus, que foi esposa do saudoso presidente Vicente Matheus, foi a primeira mulher a dirigir um clube grande de São Paulo.

Pelo jeito, acredito, será candidata única.

No Clube algumas articulações tentam encontrar um ou mais nomes para disputar a eleição e sem sucesso.

Leila Pereira comanda a Crefisa e a FAM, empresas que patrocinam o Palmeiras, e superou várias etapas para poder chegar a esse posto. Foi complicado ser candidata ao conselho do Clube. Manobras interpretativas dos Estatutos lhe deram condições de pleitear essa posição. O ex-presidente Mustafá Contursi, um dos maiores, ou o maior conhecedor do Estatuto, confirmou a legalidade desse direito. Hoje, ela e o ex-presidente são “inimigos”.

Eleita conselheira, pacientemente cumpriu os prazos para ganhar a condição sonhada de presidir o Clube do seu coração.

Creio que será candidata única tal o favoritismo e o número de Conselheiros que a apoiam e participam de ações, almoços, jantares, eventos e encontros que ela vem promovendo ao longo de todo esse tempo.

O patrocínio que suas empresas dão ao Palmeiras são extraordinários. Quando há a necessidade de um empréstimo para cobrir uma ou outra dívida a “titia” Leila cacifa. Quando o “tutu” é para comprar jogador lá está ela para ajudar. Facilita todas essas operações, mas tem garantias desses empréstimos, é claro.

Assim, com certeza Leila Pereira entrará para a história palmeirense como a primeira mulher a presidir o PALESTRA/PALMEIRAS.

Mais uma curiosidade histórica do ALVIVERDE IMPONENTE:

Nesta semana a direção palmeirense adquiriu o piano que foi do maestro Antônio Sergi, o “Totó” como era conhecido, que em 1942, no seu piano, compôs o HINO DO PALMEIRAS”.

Foi nesse ano que o Palestra Itália foi obrigado a mudar de nome. A Segunda Guerra Mundial estava acontecendo. Itália, ao lado da Alemanha, guerreava contra as Forças Aliadas.

À época alguns simpatizantes do tricolor queriam um estádio ou campo de treinamentos. Quiseram tomar posse de clubes de origem alemã, sem sucesso (o Germânia, hoje Pinheiros, por exemplo). “Paulistões” da época, muitos da elite, na “cara dura” cobiçaram tomar o Parque Antarctica do Palestra. Liderava esse movimento o Major Silvio de Magalhães Paulista, secretário de Educação de São Paulo.

Em 14 de setembro de 1942, em reunião nas dependências do Palestra aconteceu a reunião que optou pelo nome de Sociedade Esportiva Palmeiras. Antes cogitou-se o nome de PALESTRA, que não foi aceito por ser “palavra italiana”. Outra ignorância porque é palavra de origem grega, que significa local de reuniões, encontros.

Quis o destino, todavia, castigar os que haviam engendrado a trama.

Decisão do título paulista de 42: S.E. Palmeiras x São Paulo F.C., no Pacaembu lotado, Palmeiras ganhava o jogo por 3 a 1. Jaime Janeiro, árbitro do jogo marca pênalti contra o tricolor. Luiz Mesquita de Oliveira, capitão são paulino tira o time de campo.

Armando Del Debbio, técnico palmeirense, solta a frase histórica:

“O PALESTRA MORREU LÍDER E O PALMEIRAS NASCEU CAMPEÃO!!!”. Hoje mudaram a frase para “O PALESTRA ACABOU LÍDER E O PALMEIRAS NASCEU CAMPEÃO!!!”

Parabéns AO PALMEIRAS, “QUE SABE SER BRASILEIRO, OSTENTANDO A SUA FRIBRA”, como está no hino composto pelo Maestro Totó.

Um abraço.

Lucas Neto