• Futebol em Rede

Sonhadores ou malucos


O futebol na Itália tem data marcada para a volta. Será dia 20 de junho, logico, se nada diferente acontecer em relação à pandemia. Em meio ao clima de otimismo, o presidente da Federação Italiano de Jogo de Futebol, Gabriele Gravina ( Foto – Divulgação ), lançou duas propostas polêmicas. Volta do público nos jogos e saída matemática para encerrar o campeonato se tudo der errado no retorno. Em bom italiano, podemos resumir os delírios do dirigente como sognatori ou pazzi ( sonhadores ou malucos ).


O dirigente não pretende reabrir a competição com torcedores nos estádios. Ele inventou uma solução para acelerar a volta dos torcedores. Até parece com os planos de governadores pelo Brasil, colorindo zonas e liberando movimento. A ideia de Gravina é liberar aos poucos o público, começaria com 20 %, com distância entre torcedores nas arquibancadas, para não criar ou incentivar aglomeração. Para ilustrar ainda mais a ideia, tudo começaria pelas tribunas nos estádios e até um sistema de sorteio e rodízio para torcedores foi pensado. Assim, não seriam sempre os mesmos nos jogos, democrático se não fosse lunático.


Gravina está empolgado com imagens de Hungria e outros países que já permitem torcedores. A Juventus resolveu apoiar a ideia e o assunto começou a ganhar corpo. O problema é que na Itália a pandemia fez mais de 33 mil mortes e parece ser prematuro sonhar tão distante da realidade. Como os italianos são precavidos, o mesmo Gravina divulgou uma solução matemática para em caso de caos e tudo dar errado na retomada do futebol. A solução é o algoritmo.


Essa solução iria agradar aos matemáticos e criar uma discussão eterna. Para entender a fórmula do algoritmo. Pega-se a média de pontos da equipe até onde os jogos foram realizados. Serão duas médias, jogos em casa e fora. Aplica-se a média nos jogos que restam, dentro e fora de casa, e pronto. Saí a classificação da competição com algoritmo. Tomara que ninguém da direção do futebol brasileiro entenda a fórmula. Aqui o que não falta é sognaroti ou pazzi.