top of page
  • Foto do escritorFutebol em Rede

Rubens “Manchinha” Santos domina o combate e derrota o chileno Claudio Laviñanza

Já Pedro “Diamante Negro” Conceição supera o compatriota Ítalo Nunes por nocaute


O pugilista Rubens “Manchinha” Santos derrotou o chileno Claudio Laviñanza, na noite de sábado (21 de julho), no Club Cassasp, na Zona Norte da cidade de São Paulo (SP), em luta válida pela categoria Peso Galo. O brasileiro, que integra a equipe The Oliveira Brothers (TOB), foi soberano no combate, levando vantagem nos dez rounds e vencendo por decisão unânime dos jurados, com boa margem de pontos.

“Dei mais um passo importante na minha carreira. Fiz uma grande luta contra o atleta Claudio Laviñanza, do Chile. Foram dez rounds bem executados, pois consegui colocar em prática toda minha preparação e sair com uma grande vitória”, comentou Manchinha, que agora detém um cartel com 12 vitórias, sendo oito por nocaute (KO), e uma derrota.

Já Ivan de Oliveira, técnico e manager da equipe The Oliveira Brothers, destacou a superioridade do brasileiro. “Todo mundo que acompanhou o combate pôde perceber que o Manchinha é um lutador completo, que luta na longa, média e curta distâncias. Tem condição de fazer combates longos, já que está com uma defesa muito boa. Prova disso é que não sofreu avarias na luta. Não nocauteou o adversário, mas bateu bastante nele, até cumprimento o chileno pela sua resistência”, comentou.

“Estou muito feliz pela performance do Manchinha, tenho certeza que ele ganhará espaço no ranking latino, atualmente figura no nono lugar e deve subir uma ou duas posições, E, a partir daí, é começar a pensar em disputa de títulos internacionais. Nós estávamos focados em disputar um cinturão sul-americano, quem sabe conseguimos isso em dois ou três meses com os apoios necessários”, complementou Ivan.

Já Pedro “Diamante Negro” Conceição superou o compatriota Ítalo Nunes pela via rápida, ou seja, nocaute (KO) no quinto assalto, com grande atuação, variando bem os golpes e seguindo o plano de luta elaborado. Com isso, o também boxeador da equipe The Oliveira Brothers (TOB) ostenta um cartel com três vitórias, sendo uma por nocaute.

“Foi uma luta muito boa, em que consegui desenvolver bem a tática que treinei com os meus treinadores. No quinto round consegui aplicar bons golpes, um deles entrou forte e mantive o ataque para vencer por nocaute”, relatou Pedro.

“Na luta do Pedro, sabíamos que o Ítalo era um menino duro nos primeiros rounds, mas que ia arrefecendo à medida que a luta ia se desenvolvendo. Então, era mantê-lo na nossa distância e trabalhar os jabs, explorando a linha de cintura com golpes retos mesmo para minar a resistência do adversário, para que aos poucos o Pedro pudesse encurtar a distância e buscar o nocaute depois do terceiro e quarto assalto; esse era o nosso plano. E deu certo, uma vez que o Diamante Negro venceu com maestria, sendo muito preciso na tática”, analisou Ivan.

“Como manager da equipe e também treinador, fiquei muito feliz em ver os garotos tendo essa performance, pois deixei o meu filho João Vitor na responsabilidade de preparar os atletas, esse era o meu papel, pois ele sempre foi treinador do Manchinha, mas já está há dois anos está nessa linha de frente. Por isso, acho interessante enfatizar a importância dele nessa equipe. Muitas vezes, vemos muito o feito de quem faz o gol, comparando com o futebol, mas não damos o devido valor a quem dá a assistência. E o João Vitor é justamente o cara da assistência, que dá todo o suporte para essa molecada”, acrescentou o manager e técnico.

A luta entre o super-médio Ricardo Cândido Oliveira e Saimon Machado não foi realizada, visto que o pugilista da equipe The Oliveira Brother (TOB) teve uma lesão detectada e a comissão técnicas achou por bem preservar o atleta.

“Quero agradecer o apoio da Peralta Ambiental, que foi o patrocinador da luta do Manchinha, nos ajudando a custear as despesas do evento, além de muitos outros amigos, especialmente alguns atletas e treinadores da American Top Team, que também nos ajudaram a viabilizar o combate. Sozinho é difícil fazer as coisas, por isso, é importante destacar e agradecer quem nos ajuda”, finalizou Ivan.

Foto: Kiko Ross/TOB



Comments


bottom of page