• Futebol em Rede

RISCO AINDA EXISTE


Uma parte da torcida do Santos foi às redes sociais comemorar o feito. O Santos venceu o São Bento na Vila Belmiro e evitou o rebaixamento no Campeonato Paulista. Várias postagens exaltando o clube “em segundo algumas vezes, na segunda jamais” (Arte divulgada redes sociais). Estavam falando de um clube com uma das histórias mais vencedoras do futebol brasileiro. O time cuja camisa dez é reconhecida como manto de um Rei. Outra parte da torcida resolveu radicalizar, apedrejou o ônibus do clube no retorno ao CT após a vitória salvadora.


Tudo um grande absurdo. A grandeza do Santos dentro de campo não foi repetida fora do campo de jogo. Não é a atual administração. O Santos vive uma sequência de gestões temerárias. O pior exemplo, a venda de Neymar. O Santos ficou com migalhas e a farra virou escândalo em Barcelona. Existe fila de treinadores sem receber. O clube foi acionado na FIFA diversas vezes por não cumprir acordos comerciais. O pior deles, Soteldo, que jogou no clube sem o clube pagar por ele e a solução foi vender o jogador e passar o dinheiro para o clube original.


Em meio à turbulência, o Santos fez em 2020 um milagre. Chegou na decisão da Libertadores e conseguiu aliviar a barra com premiações. A Vila Belmiro virou Tenda dos Milagres e alguns garotos foram chamados de raios para ilustrar a quantidade de boas revelações que o clube produz. Tempestade de raios ocorreu mesmo na década de sessenta. Um ou outro raio caiu de lá para cá. Nada que justifique tamanha confiança no céu carregado, hoje de dívidas.


Time que cai não faz a asneira de uma vez. Vai cavando o buraco pouco a pouco. Por isso o alerta. O risco de cair um dia, existe se nada for feito para evitar o naufrágio. Tem coisas que precisam URGENTE de solução. Andres Rueda, o atual mandatário, não é o culpado, mas não pode ver o barco adernar e tentar tirar água do convés com um balde. Ele “emprestou” dinheiro durante o processo de eleição, nem deveria ser candidato. Fez isso para ver de perto o naufrágio?


Hoje agarram-se na base do clube como num tesouro. Estão usando garotos como solução de tudo. Vai faltar promessa. Daqui a pouco o Santos vai fazer peneira nas areias das praias para escalar o time. Rueda explicou o motivo da contratação de Fernando Diniz. Sem meias palavras, foi quem aceitou a base como solução e o salário ofertado. Esse é o perfil. O presidente falou em contratações, mas não explicou com que dinheiro e que tipo de jogador será procurado. Será o mesmo perfil do treinador, aquele que aceite?


Torço e muito para o Santos achar soluções. Não dá para confiar numa tempestade de raios para resolver o problema. Chega de Comitê de Gestão, o clube precisa de GESTÃO sem comitê e de seriedade, não milagres. Não serão os apedrejadores que irão resgatar o Santos, muito menos os sonhadores, que acreditam que nunca irá cair um time que está fazendo força para cair faz tempo.