• Futebol em Rede

RECONSTRUÇÃO NO CORINTHIANS


O Corinthians perdeu como era esperado para o Fluminense, 2 a 1, no Maracanã. A falta de uma definição prolongada na equipe por Tiago Nunes deixou um estrago. O time virou um amontoado de jogadores em campo. Falta plano de jogo, falta um treinador experiente para evitar a pressão que se aproxima com a falta de resultados e a proximidade da zona de degola no Brasileiro. Não é hora de mágica, tirar Coelho da cartola. É hora de soluções e mãos à obra.


Dyego Coelho conhece o Corinthians, é amigo do presidente e sabe que com uma eleição pela frente, teria que fazer um milagre histórico para ser reconhecido. Pelo ambiente político e pela situação delicada do time, melhor ajudar e deixar o trono vazio. Definir um treinador na marra é o desafio da diretoria. O novo treinador terá que saber do risco. Pode perder emprego pelo simples fato de existir uma eleição no clube. É chegar fazendo resultados.


A maior necessidade é acertar o meio de campo, setor nunca definido por Tiago Nunes. Apostar nos volantes para fechar o setor é um caminho. Com a bola, Gabriel volante marcador, sem a bola Gabriel terceiro zagueiro e a dupla Ramiro e Cantillo ajudando na marcação e na cobertura. Otero que chegou bem, é a arma da bola parada. Enquanto o time não se acerta na marcação, Matheus Vital trocando posição com Otero no meio e ataque. Jô será menos sacrificado com os laterais participando do ataque. Não é uma solução, é um jeito de reconstruir o time.


Buscar um treinador experiente é o mínimo esperado. Não dá para testar Dyego Coelho. Dois meses de testes até a eleição do clube, pode deixar a situação delicada demais para ter solução. Felipão, Abel Braga, Roger Machado....não faltam opções no mercado. Não sacrifiquem o Coelho. O Corinthians não precisa de um culpado da vez. Está cheio de culpados. Precisa é encontrar soluções e não pode perder tempo.