• Futebol em Rede

Por que é difícil demitir Carille?

Por que é difícil demitir Carille? A verdade é que o técnico corintiano perdeu a mão, os jogadores claramente já não dão bola para o que ele tenta passar. Seu esquema de jogo esgotou e ele ficou bitolado nele. Antes o Corinthians jogava mal e ganhava. Encobria os erros e a feiura do seu futebol pragmático de resultados. Agora joga mal e perde também porque o esquema já está manjado pelos adversários.



Falta a Carille propor novas alternativas, mas queimou várias pontes entre ele e o elenco. Tudo começou quando admitia o mau futebol, mas avisava que depois da Copa América o time iria melhorar. Não melhorou. Depois quando apelou dizendo que o time precisava de jogador cascudo para suportar a Copa Sul-Americana que é a segunda divisão da Conmebol. Mas os cascudos que ele trouxe e os que escalou contra o Del Valle também não ajudaram em nada.



Depois saiu dizendo que o Corinthians não conseguiu lhe dar os reforços pedidos entre eles Gabigol, Keno e Roguer Guedes. A diretoria o chamou no cantão e lembrou que esse elenco foi montado por ele, aprovado por ele e pedido por ele. Então pare de reclamar e vá trabalhar. Depois disso, Carille não tocou mais no assunto, mas se enfraqueceu com a diretoria e com o presidente Andrés Sanchez, que nunca foi apaixonado por ele, apenas o suporta pelos bons resultados do passado.



Agora sem vencer há 7 jogos e com risco de ficar fora da classificação até da pré-Libertadores, a situação de Carille é quase insustentável, mas Andrés ainda está reticente para demiti-lo. Primeiro porque gostaria de manter a fama fabricada com Tite de que não demite treinadores, o que não é totalmente verdade e nem totalmente mentira. É apenas uma versão lendária da história da permanência de Tite depois de perder a classificação para o incipiente Tolima. Tite ficou porque ganhou do Palmeiras, 1 X 0, na sequência. Se não ganhasse estaria fora. Até Tite sabe disso.



Outra é a multa de 6 milhões de reais, o que não é nada para um clube que já tem um déficit de 150 milhões no ano. Mas quantos técnicos deixaram o Corinthians e só foram receber muito tempo depois? É quase praxe dessa administração. Mas o que pesa mesmo são os nomes do mercado. Andrés gostaria de dar uma chance a Silvinho, seu ex-jogador, ex-funcionário do clube, mas o fracasso no Lyon diminuiu um pouco sua chama junto ao presidente.



Outra situação é que faltam só 7 jogos para acabar o Campeonato e o Corinthians ainda tem esperanças de se classificar para a Libertadores. Por isso o chacoalhão em todo Departamento de Futebol depois da derrota para o CSA. Mudanças drásticas foram anunciadas pelo dirigente que quando perguntado sobre o futuro de Carille apenas respondeu que ele tem contrato.



Não bancou ninguém, nem parceiros da diretoria e expôs o elenco que parece estar de férias, segundo ele. Foi uma cutucada para tentar salvar o ano. Mas mesmo que se classifique para a Libertadores, os dias de Carille estão contados. Quando precisou montar o elenco desta temporada, ele falhou e o time joga de mal a pior. Culpa dele? Não só dele, mas ele é o principal responsável.