• Futebol em Rede

Pior dos empates


Pior dos empates foi o placar conquistado pelo Internacional, diante do Tolima, na Colômbia. Igualdade sem gols no primeiro jogo, dá ao rival fora de casa a vantagem de um novo empate com gols. Novo zero a zero, leva a decisão para os pênaltis. Portanto, o time gaúcho não deveria ficar satisfeito com o que fez no primeiro jogo. Boschilla ( Foto – Divulgação ) está virando o destaque do time dirigido por Coudet.


Gabriel Boschilla, revelado pelo São Paulo, deixou o país cedo e rodou pela Europa sem conseguir fazer decolar sua carreira. Jogador com destaque nas seleções de base, foi uma aposta de Muricy Ramalho, que parecia uma eterna promessa. Verdade que ganhou um título francês pelo Monaco, mas nunca assumiu posição de protagonista no clube. Voltar ao Brasil ainda com 23 anos foi uma boa opção. Jogando no meio e aberto pela esquerda, começa a sair do ostracismo. Bom sinal.


Coudet ajeitou o Inter com um volante, Musto, jogando como terceiro zagueiro. Ajuda a fortalecer a defesa, mas perde força ofensiva. A bola chega pouco para Guerrero finalizar. Os erros de passe no meio campo, principalmente nas saídas em velocidade, deram dor de cabeça contra o Tolima. Jogar com o regulamento é apostar no menor risco para decidir em casa. O empate sem gols não foi ruim, mas dá ao Tolima mais chances de seguir adiante. Empatar com gols era o menor risco, acabou trazendo o pior dos empates para decidir em Porto Alegre.