• Futebol em Rede

Pavão misterioso


A torcida do Corinthians começou a pegar no pé de Luan ( Foto – Rodrigo Coca/SCCP ). Não é novidade para o jogador. No Grêmio, onde ele viveu seus melhores dias, também foi alvo de vaias e protestos. O motivo é simples, esperava-se mais dele, que caiu de rendimento repentinamente. Nem de longe lembra o ótimo jogador, eleito como melhor das Américas 2017. Ele ainda é jovem, 27 anos, precisa despertar ou vai virar um pavão misterioso no futebol brasileiro.


A contratação de Luan foi uma aposta. Um jogador com potencial, não seria liberado pelo Grêmio com tanta facilidade. Arthur foi negociado com o Barcelona ( 30 milhões de euros ), agora, Everton Cebolinha para o Benfica ( 20 milhões de euros ), valores muito superiores ao pago pelo Corinthians ( 5 milhões de euros por metade dos direitos). Na comparação com seus ex-companheiros, fica claro que para o Grêmio, Luan estava desacreditado. Saiu fácil demais e ninguém viu Renato Portaluppi, técnico do Grêmio, arrancar os cabelos ou o torcedor cobrar a diretoria.


A queda de rendimento de Luan, ainda no Grêmio, é um mistério. Ele também sumiu do radar na seleção brasileira. Fez dois jogos em 2017 e nunca mais foi lembrado. No ano passado, Luan participou pouco dos jogos do Grêmio (36), abaixo da média dele no clube, cerca de 50 jogos por temporada. A explicação, contusões. Quando chegou ao Corinthians foi anunciado que o jogador estava muito bem. Estreou bem e começou a cair de rendimento. Deve haver uma explicação para esse fenômeno.


Luan, como um pavão, abriu a cauda no Grêmio e encantou. Depois, recolheu a cauda sem justificativa. Perdeu valor no mercado e ficou desacreditado no clube gaúcho. O Corinthians arriscou sua contratação acreditando que o leque iria voltar a abrir e encantar. Pela idade, ainda há tempo para apostar numa negociação lucrativa para os sócios Grêmio e Corinthians. No entanto, cedo demais, Luan começa a ser contestado.


O fato de o jogador demostrar talento e não desabrochar, preocupa. Problema físico, para o bem dos dois clubes, precisa ser explicado. Existe no Corinthians uma bem aparelhada retaguarda para contornar o problema. Caso a instabilidade seja emocional, o próprio atleta deveria ter ligado a luz vermelha e procurar tratamento. Luan está numa fase da carreira de definição. Levanta voo ou ficará eternamente ciscando no chão e vez ou outra abrindo a cauda.


Pavão, muita gente nem sabe, voa. Porém, só costuma sair do chão quando precisa. O torcedor do Corinthians é exigente. Pode funcionar como um predador quando não nota vontade no jogador. Também ajuda. São inúmeros os exemplos de jogadores que caíram na graça da torcida e, impulsionados pelo torcedor, voaram longe. Ainda há tempo para Luan reagir. Essa é a aposta do Corinthians e a esperança do Grêmio. Sem uma explicação convincente, Luan deve entrar para a história como um pavão misterioso.