• Futebol em Rede

Os estaduais deste ano ficaram inviáveis


Os estaduais deste ano ficaram inviáveis. Efeito da pandemia, mas culpa do improviso que norteia essas competições. Explico, peguem o principal estadual como exemplo, o Paulista. Das 16 equipes, 5 estão na série principal do Brasileiro. Quatro na série B e uma na série C. Outras seis não tem calendário e atividades durante o restante da temporada. São equipes que sobrevivem no fio da navalha. Para ser mais claro, o Santo André, a paralisação implodirá o time, jogadores ficarão sem contrato e o time inviabilizado. Tudo após um trabalho bem feito e com resultados surpreendentes.


Isso no mais vantajoso estadual do país. Noutros estaduais a situação é pior, com mais clubes condenados pela paralisação. Nem existe uma garantia de volta em pouco espaço de tempo. Inventar prosseguir com a competição para dar garantias aos compromissos comerciais, é inverter a lógica e condenar esses clubes a sacos de pancada. Os entronados Reis das Federações nunca se preocuparam com os clubes. Vale a lona do circo permanecer de pé à custa dos que sustentam o picadeiro.


Encontrar uma saída digna é o desafio. Ninguém deve ser condenado ou inviabilizado pela pandemia. Encerra-se a competição, sem vencedor, só perdedores e que todos fiquem com sua cota de derrota. Os compromissos comerciais assumidos que ganhem desconto ou compensação na próxima edição. Ninguém deve ser rebaixado, nem promovido. E que as Federações tratem de fazer algo por quem sobrevive de migalhas, isso se não quiser ver a lona do circo cair um dia.


É injusto deixar os clubes pequenos, tradicionais, serem engolidos por falta de estrutura que o possibilitem crescer ou manter-se com um mínimo de condições. O futebol precisa de calendário em todas as divisões para se sustentar. Os times que não estão enquadrados por critérios técnicos nas divisões nacionais, precisam de atividade e estrutura para sustentarem suas equipes. Sem público, sem jogos, sem organização, serão eternamente regados por migalhas e impedidos de crescer, mesmo que por milagre, façam trabalhos que rendam resultados.


Defendo que as Federações realizem uma competição anual com seus filiados menores. Que essa competição sirva de incentivo e determine quem dentre eles, irá participar da competição estadual da próxima temporada. Esse o papel das Federações hoje. Não deixar morrer as tradicionais equipes do estado e semear que outras possam existir. Sentar-se no trono e ver o caixa encher de dinheiro a cada início de temporada, é explorar grandes e pequenos. É manter um circo cada vez menos expressivo e sem sentido prático. Não reclamem quando alguém notar que os estaduais não servem para nada.