top of page
  • Foto do escritorFutebol em Rede

O trabalho sério de Diniz e as caras e bocas de Renato Gaúcho


Renato Gaúcho, sempre fazendo caras e bocas e caprichando no biquinho, disse ao jornal O Globo que a maneira de jogar das equipes treinadas por Fernando Diniz é suicida. Para o técnico do Grêmio, o treinador do Fluminense exige que seus times saiam jogando da defesa, o que, para ele “é um risco constante”.

Disse que jamais adotaria este jeito de atuar nos times que dirige.

Com certeza.

Ele realmente não implantaria o modo Fernando Diniz de jogar. E é fácil explicar. Para adotar o modo “suicida” de jogar, exigiria de Renato Gaúcho muito trabalho.

Trabalho. E estudo.

E o próprio Renato Gaúcho já disse várias vezes que não está disposto a estudar para aperfeiçoar os seus conhecimentos táticos e técnicos para aplicar nos times em que trabalha como treinador.

Renato Gaúcho, segundo ele mesmo, não tem a menor pretensão de fazer o curso de técnico que é ministrado pela CBF.

“Prefiro jogar futevôlei na praia do que fazer o curso para técnico de futebol”.

Depois desta declaração, pelo que consta, Renato Gaúcho fez o curso para treinador de futebol. Mas só fez porque precisava do comprovante de conclusão do curso para seguir como técnico da modalidade.

“O Renato Gaúcho não fala sobre o jogo em suas entrevistas coletivas. Impressionante como ele foge de qualquer assunto relacionado à tática da partida”.

Este comentário foi feito por um apresentador de programa esportivo de televisão, canal fechado, logo após o empate entre Caxias e Grêmio, no primeiro jogo da final do Campeonato Gaúcho. O jogo terminou 1 a 1 e a decisão será neste final de semana, na Arena do Grêmio.

A explicação é simples: Renato não fala de tática porque nada sabe sobre a tática do jogo. Renato é um gestor de vestiário. E, é bom que se diga, tem conseguido ótimos resultados, principalmente no Grêmio, como um gestor de pessoas.

O treinador de campo, o profissional que estuda os adversários e que se esmera em dar treinos conectados com a realidade do futebol moderno no Grêmio e nos outros times dirigidos por Renato Gaúcho é o auxiliar Alexandre Mendes.

Quem é do meio do futebol sabe disso. Marcos Braz, vice-presidente de futebol do Flamengo, já disse isso.

“Na verdade, o técnico do Grêmio é o Alexandre Mendes”, afirmou Braz.

Renato Gaúcho não desmentiu o dirigente rubro-negro.

Sem argumentos, silenciou.

Wladimir Miranda cobriu duas copas do mundo (90 e 98). Trabalhou nos jornais Gazeta Esportiva, Diário Popular, Jornal da Tarde, Diário do Comércio e também na Agência Estado. Iniciou no jornalismo na Rádio Gazeta. Trabalhou também na TVS, atual SBT. Escreveu dois livros,de grande aceitação no mercado editorial: O artilheiro indomável, as incríveis histórias de Serginho Chulapa e Esconderijos do futebol.

Comments


bottom of page