• Futebol em Rede

O novo "Raio" do Santos caiu no gol

O novo "Raio" do Santos caiu no gol. De tempos em tempos cai um raio no Santos F.C. Até antes de Pelé era assim. Daí Ele veio e com Ele muitos outros iluminaram o céu de Vila Belmiro e do Mundo. Alguns viraram cometas efêmeros, outros se firmaram e viraram estrelas do futebol. Dizem que esses "milagres" acontecem na base do Santos. Às vezes por sorte e na maioria das vezes por necessidade.



Através da história o Santos sempre teve grandes jogadores em todas as posições. Dá para montar mais do que uma Seleção sem fazer muito esforço. Tem o ataque dos sonhos com Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe, mas ainda tem Edu, Robinho, Neymar, Toninho Guerreiro, Pagão, Abel Verônico, Manoel Maria, Pita, João Paulo, Juary, Diego, Elano e até o inventor da "carretilha" o ponta Kaneko. Gente que marcou época e com certeza ainda estou esquecendo de muita gente boa. Peço desculpas desde já. Se quiserem podem acrescentar por conta própria.



Na cabeça de área o Santos teve o lendário Zito, o genial Clodoaldo, só para começar a contar a história. Na zaga também teve alguns monstros como Carlos Alberto Torres, Ramos Delgado, Joel Camargo, Djalma Dias, Alex, só para falar do final da década de 60 para cá. A lateral-esquerda é que não teve ninguém genial, mas teve bons jogadores como Rildo, Dalmo, Zé Carlos Cabelereira e ultimamente Léo, que foi campeoníssimo.



A verdade é que embora tenha tido muitos jogadores de nível formados em quase todas as posições e alguns que chegaram para compor um grande time, o Santos, pelo que me lembro, não formou grandes goleiros. Desde Gilmar eles chegaram de fora. Cláudio, que morreu cedo e que não era alto, mas era muito ágil, depois vieram os importados Cejas, sensacional, e o extraordinário Rodolfo Rodriguez. O meu amigo e ótimo goleiro Zetti também esteve lá.



Recentemente teve Fábio Costa em grande fase e Vanderlei, preterido pelo então técnico Sampaoli porque só era ótimo com as mãos e nem tanto com os pés, o que por si só é uma heresia por mais que se diga que isso é moderno. Afinal, o goleiro é o único do time que pode jogar com as mãos e isso me parece que ainda tem importância.



Mas agora o "Raio" caiu no gol. João Paulo apareceu como costuma acontecer com o Santos na necessidade. Com a saída de Vanderlei para o Grêmio, Everson virou titular, mas por atrasos salariais entrou na justiça contra o Santos, se queimou, embora me pareça ter razão em querer receber o que lhe devem, e quando voltou ficou sem clima, virou quarto goleiro e finalmente aconteceu o que se anunciava. Vai dormir nos braços de Sampaoli no Atlético Mineiro. Que seja feliz. Não é mau goleiro, mas não passa perto dos nomes que citei acima, na minha opinião, é claro.



Wladimir que teve inúmeras chances, saiu emprestado, voltou e não se firmou, viu aparecer o jovem João Paulo. São 9 anos de formação na base do Santos e agora é titular com mérito. Mais do que isso. Ganhou a confiança do treinador, dos companheiros, da torcida e ganha elogios da imprensa. É seguro, confiante e muito bem treinado por um cara que merece um capítulo à parte. É o treinador de goleiros Arzul, que está há tanto tempo fazendo um trabalho excepcional no Santos, merece respeito. Goleiros que trabalham com ele crescem. João Paulo é mais um que ele coloca num patamar bem alto.



Tomara que o menino de 25 anos continue firme. Uma hora ou outra vai falhar como acontece com todos nós, mas já demonstrou que é do ramo e que não é um goleiro comum. Tem todos os atributos para ser um dos grandes da Vila Belmiro. No time que até hoje fez mais gols na história do futebol e cujo DNA o leva para frente, surge alguém para evitar gols adversários.



Sinal dos tempos, dos bons tempos, eu diria. No Santos, os raios chegam na hora certa. Boa carreira, João Paulo, o menino que tem nome de Papa e que apareceu no templo de Vila Belmiro respirando ares soprados pelos Deuses que já desfilaram por lá. Bons fluidos não faltam. O Santos tem dessas coisas. Que assim seja.