• Futebol em Rede

NO FUTEBOL PODEM CRER,O INSOLÚVEL TEM SOLUÇÃO


Olá amigos do Futebol em Rede.


Nesta próxima quinta-feira, dia 23, o Corinthians irá a julgamento STJD por conta de gritos homofóbicos no clássico contra o São Paulo em maio, no seu estádio. O episódio foi relatado pelo árbitro Wilton Pereira Sampaio (ele vai apitar na Copa do Qatar), além de arremessos de medas e um isqueiro atirados no jogador Reinaldo do tricolor, além de paralização do jogo por conta de sinalizadores acesos por torcedores.


Por tudo isso o Clube poderá ser punido com multa de até R$ 100.000,00 e até perda de pontos e de mandos de jogos em seu estádio.


O artigo do enquadramento é o 243-G do Código Brasileiro de Justiça Desportiva que trata sobre “praticar ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado a preconceito em razão de origem étnica, raça, sexo, cor, idade, condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência”.

No julgamento, é claro, o Corinthians terá argumentos: imediatamente o presidente Duílio Monteiro Alves, determinou à locutora do Estádio que pedisse aos torcedores que cessassem com os gritos homofóbicos, o placar eletrônico exibiu os mesmos avisos também quanto ao arremesso de objetos no campo, etc.


Aí, justifico o título do comentário: NO FUTEBOL PODEM CRER, O INSOLÚVEL TEM SOLUÇÃO.

Como? Com ação conjunta que envolve as Polícias Militar e Civil, os fiscais que trabalham nos estádios e os próprios torcedores e a Imprensa.


Quem atira um objeto em campo pode ser identificado, sim.


Quem acende um sinalizador pode ser identificado, sim.


Quem faz gestos homofóbicos, grita ofensas, quaisquer que sejam, podem ser identificados sim.

Prender esses “imbecis” é fácil, sim.


Isto posto, para completar a solução, a detenção e prisão dos transgressores.


Na sequência, pagamento de fiança e depois o processo devido de acordo com a Lei. Tudo acompanhado, relatado e mostrado pela Imprensa, principalmente as condenações. Essa exposição será fundamental para comprovar que as consequências serão terríveis.

Lembro-me que na Inglaterra, na década de 60, os casos acontecidos nos estádios com essas infrações, os torcedor era preso e a condenação, nos dias de jogos do seu time, era obrigado a se apresentar na Delegacia, ficar detido no local até duas horas após o termino da partida da sua equipe. Se não se apresentasse, a pena de sua condenação, imediatamente passaria a ser cumprida.


Está aí uma boa solução. Concordam?


Some-se a isso os gastos com advogados, o pagamento de danos causados nos estádios, incluindo-se, se possível o auxílio ao clube que foi multado e o vexame pelo qual está passando.

Uma outra dica: prestação obrigatória de serviços comunitários aos sábados e domingos, ou nas suas folgas se estas acontecerem em dias úteis durante a semana.


Estão aí as sugestões.


Muitos dirão que são utópicas. Reconheço que são difíceis, mas tentadoras. Vale tentar.


Um abraço,

Lucas Neto