• Futebol em Rede

Meu Palmeiras, meu Palmeiras, meu Palmeiras

Em excelente matéria dos repórteres Felipe Zito e Tossiro Neto, do globoesporte.com, a senhora Leila Pereira, dona da Crefisa, a melhor parceria do futebol brasileiro e talvez latino americano, deixa claro que pode ser candidata a Presidente do Palmeiras nas eleições de 2021.

Faz elogios a atual diretoria, critica desmandos e erros de dirigentes anteriores, e diz que pode fazer mais pelo clube se for a Presidente, o que por si só já seria inédito. Seria a primeira mulher presidente da Centenária Sociedade Esportiva Palmeiras.

Quando bem questionada a respeito, não se fez de rogada: “Eu estou para colaborar, se eu posso colaborar cada vez mais não só em investimento, mas na minha experiência como empresária, por que não? Isso vai demorar ainda, em 2021, são projetos. Quem decide são os associados, mas se meu grupo entender que eu seria o melhor nome, por que não?”

Por que não? Se preenche os requisitos como Conselheira para concorrer as eleições, tudo certo. A frágil Oposição palmeirense acha que ele quer ser dona do clube e que hoje a dívida do Palmeiras com a Crefisa seria de 150 milhões de reais por conta da contratação de jogadores.

Dona Leila diz não estar preocupada com isso e como palmeirense vai continuar ajudando sem asfixiar as finanças do clube para receber o que tem de direito. Ao contrário, tem colocado mais dinheiro em forma de contrato de marketing.

A verdade é que a CREFISA é o patrocinador dos sonhos. O Palmeiras teve a sorte de se reerguer com a Parmalat e acabou jogando fora uma parceria de sucesso à época e agora tem nova chance, que não seja precipitado e não repita o que fez com os italianos.

Mas ao mesmo tempo fica a posição da torcedora-patrocinadora e se quiser, com certeza, futura presidente do clube. Como para todo ser humano existe a vaidade também. Eu pago, eu mando, eu desmando e acabou. O ser humano é um bicho complicado. Depois que atinge certo status, principalmente o financeiro, começa a pensar que tudo depende dele, que por exemplo, o Palmeiras não existirá mais sem Leila Pereira.

É preciso pés no chão nessa hora. As pessoas passam, as entidades ficam. Com a palavra o Conselho do Palmeiras ou seus sócios, mas só em 2021, ainda há tempo para estudar bem as propostas e os caminhos. Por enquanto a CREFISA vai muito bem, obrigado. E o clube também.

#Crefisa #leila #palmeiras #parmalat