• Futebol em Rede

MARTA E O COMEÇO DO ADEUS


Olá amigos !

Muitas coisas importantes estão acontecendo ao mesmo tempo, no futebol brasileiro. Exemplo: a crise na CBF com a suspensão e a quase certa eliminação de Rogério Caboclo da presidência da entidade por assédio sexual, alcoolismo, problemas administrativos, uso indevido de avião da entidade, compra de mais uma aeronave, etc. Outro assunto atual a formação da Liga dos Clubes. Por ordem judicial intervenção com o cancelamento da assembleia que elegeu a atual administração e a indicação de Reinaldo Carneiro Bastos (presidente da Federação Paulista de Futebol) e Rodrigo Landin (presidente do Flamengo) como interventores com a obrigatoriedade de fazer uma nova eleição. Decisão judi cial, agora valeu a eleição. Vai valer portanto a decisão da Comissão de Ética se o Caboclo fica ou será banido.

Lei do mandante dos jogos com o direito de negociar as transmissões dos jogos pela TV já foi aprovada pelo Congresso e tendência de o presidente Bolsonaro.

Porém, a eliminação da nossa Seleção Feminina de Futebol da Olimpíada do Japão, nos decepcionou e deixa claro que a nossa extraordinária Marta está no começo do seu ADEUS.

A excelente na vitória contra a China por 5x0 na primeira na estreia nos entusiasmou. Contra Zâmbia, um magro 1x0, numa partida onde as coisas não foram muito bem. Mas o produzido em campo deu para o gasto, digamos assim. Contra a Holanda 3 a 3. Foi uma partida difícil e contra uma equipe mais experiente e bem conceituada na história do futebol feminino. O resultado foi o suficiente para avançarmos para a fase do perdeu cai for

E no primeiro jogo nessa fase, 0x0 nos 90 minutos e também 0x0 na prorrogação.

Decisão foi para os pênaltis e nos deu esperança, porque as canadenses perderam a primeira cobrança, com a defesa da nossa goleira e Marta marcou o primeiro a nosso favor. Resumindo a história na sequência perdemos duas cobranças com defesa da goleira adversária e fomos eliminados por 4 a 3.

O jogo em si foi complicado. Perdas de muitas oportunidades dos dois lados. Mais momentos melhores das canadenses e outros das brasileiras.

Pia, a treinadora do Brasil, com dois títulos olímpicos quando dirigia a equipe dos Estados Unidos, veio montar a nossa equipe para o Japão.

Especificamente nesse jogo cometeu um erro estratégico que não entendi ao posicionar a nossa extraordinária Marta mais atrás e em vários momentos auxiliando a nossa defesa. Marta, a melhor do mundo, se posicionada na frente, é claro, impediria que as adversárias fossem em bloco para o ataque. No mínimo duas ou três atletas ficariam policiando a nossa craque.

Resumindo, não foi uma boa jornada e estamos retornando para casa.

Aos 35 anos, a nossa Marta, já não tem mais o mesmo vigor físico. A cabeça pensa, mas o corpo já não obedece com a mesma rapidez de antes.

Mesmo assim ela ainda tem muita lenha para queimar e muito a contribuir para o nosso futebol brasileira. Com certeza será técnica ou dirigente de clube, da CBF ou supervisora das futuras seleções.

À treinadora Pia os nossos agradecimentos.

Vamos nos planificar melhor, encontrar treinadora ou treinador. A partir dai começar tudo outra vez. Material humano não nos faltará.

Rainha Marta, obrigado por tudo. Jogue até quando achar que pode atuar. Não abandone o futebol feminino do Brasil. Se puder continuar por aqui, que assim seja. Que a CBF cubra ofertas de fora e abra as portas para a Rainha começar nova ou novas carreiras aqui no nosso País.


Um abraço.

Lucas Neto