• Futebol em Rede

Estilo de jogo e time camaleão

Estilo de jogo arriscado de Fernando Diniz ( Foto – Divulgação ) e um time camaleão, deixam no ar algo inexplicável para o torcedor. Primeiro de tudo, o Fluminense é uma equipe em construção. O entra e sai de jogadores, não terminou. Por isso, é ainda um camelão. Da mesma forma, o treinador não conseguiu implantar seu esquema tático numa equipe confiável. Como resultado, instabilidade no Brasileiro e alegrias na Sul Americana.

Certamente, as saídas de bola da defesa em toques curtos e a participação do goleiro nos lances, deixam todos inseguros e o setor vulnerável. Parece que, o treinador adora o floreio, algo dispensável. Acima de tudo, o esquema privilegia o toque de bola, o ritmo e o controle do jogo. Quase, a ideia do Barcelona de Guardiola. A diferença são as peças. O Fluminense não tem jogadores com técnica para impor jogo. Porém, tem bons jovens como Marcos Paulo, Pedro, Allan, Caio Henrique e João Pedro.

O Fluminense já tem uma cara. Também, são necessários tempo e confiança. Tempo para encontrar uma formação segura. Confiança, depende dos resultados. Dá certo na Copa Sul Americana pelo fator surpresa. Mesmo sabendo do estilo arriscado, os adversários não estão afiados para provocar estragos. No Brasileiro, os rivais sabem explorar as falhas do time carioca. O maior problema, ninguém sobrevive no futebol sem resultados. Um conselho, tire o floreio defensivo. Seriedade, daria sensação de segurança ao trabalho.

#Fluminense