• Futebol em Rede

Eliminação e tensão precoce


Eliminação e tensão precoce no Corinthians. A vitória diante do Guarani do Paraguai, 2 a 1, em Itaquera, não foi suficiente para manter o time na Libertadores. O Corinthians foi eliminado pela derrota no Paraguai, que jogou pressão no início de trabalho do técnico Tiago Nunes ( Foto – Daniel Augusto Jr. ). Cedo demais para um jogo perfeito na volta. A sonhada reação implodiu em pequenos erros.


Tiago Nunes tentou usar cartas na manga para superar o desafio. Optou por Vagner Love no ataque e Pedrinho no meio campo. Deu certo, o time jogou bem a abriu dois gols de vantagem. Pedrinho, excesso de vontade, foi expulso antes do segundo gol e criou uma dificuldade maior para a equipe. Mostrou ser imaturo para assumir protagonismo. O gol de falta de Fernando Fernandez demoliu o Corinthians. Pesou o início de uma nova forma de jogar, técnico novo e a falta de entrosamento do elenco.


O treinador deve estar arrependido da postura no primeiro jogo. Teve chances de buscar o empate e apostou no melhor dos piores resultados, para o jogo da volta. Pós jogo em Itaquera, criticou arbitragem tentando tirar o peso da eliminação dos jogadores. Insistiu em Sidcley fora de forma. As mudanças no segundo tempo não tiveram efeito. Deixou escapar a classificação porque perdeu o controle do meio campo com um jogador a menos. Arriscou e deu azar ao sofrer um gol que obrigava uma reação ainda maior e na hora errada da temporada.


Lógico que sair prematuramente da Libertadores terá efeito no trabalho de Tiago Nunes. Vai jogar pressão por resultados imediatos e tem clássico contra o São Paulo pela frente. Não basta lamber feridas e tentar assimilar o golpe. Será preciso reagir e não buscar desculpas. É cedo para culpá-lo de tudo. Porém, o bom trabalho no Athlético PR ficou no passado. Chegou a hora de saber se Tiago Nunes é do tamanho do Corinthians.