• Futebol em Rede

DONO DO POLEIRO


O Atlético MG goleou o Vasco, 4 a 1, placar do primeiro tempo e mantém a liderança do Campeonato Brasileiro. O time de Jorge Sampaoli (Foto – Divulgação ) abriu cinco pontos de vantagem para Palmeiras e Internacional e tem tudo para disparar nas próximas rodadas. Até o início de novembro quando pega o Palmeiras, fora de casa, serão cinco jogos contra adversários medianos, três em casa. O Galo é o dono do poleiro e sonha levantar o caneco que não consegue por nas mãos há quase 50 anos.


A maior virtude desse Galo é o seu maior defeito, o gênio inquieto de Jorge Sampaoli. Ele não consegue administrar calmaria. Mesmo quando vence, a ganância provoca mudanças no time. Não perde oportunidade de sugerir reforços. Na beira do gramado, sempre agitado, reclama e provoca reações da arbitragem. É um galo de briga. Não tem essa de empate. É oito ou oitenta. Vence e nas derrotas perde a estribeira e provoca mudanças radicais. Está mais controlado em Minas. Talvez o título mineiro tenha acalmado a fera ou o pão de queijo seja o motivo.


Sampaoli joga no ataque. Adora movimentação e ocupação de espaços. Em casa pressiona o adversário. Tem nas mãos o melhor ataque da competição com 25 gols. Joga com os pontas em constante movimentação e um atacante para puxar os marcadores da linha de tiro. Inventou Arana como lateral em diagonal na esquerda e apenas um volante para a marcação. Não teme linha de três na defesa e oferece espaços ao adversário. Joga no limite.


O argentino fez ótimo trabalho no Santos. Foi vice-campeão com elenco limitado e até encerrou a competição goleando o Flamengo campeão na Vila Belmiro. No Galo parece ter encontrado mais suporte nas contratações e quer voar alto. O problema é que Galo não cruza os céus, por questões biológicas faz voos curtos. É quase um voo doméstico. Campeão mineiro Sampaoli já foi, esta saber se vai se conter se o Galo não voar longe no Brasileiro.