• Futebol em Rede

Difícil entender Aguero fora da seleção

O técnico interino da Argentina, Lionel Scaloni, deixou de fora dois grandes nomes para os amistosos da seleção, inclusive o jogo contra o Brasil. A ausência de Messi era esperada. Mais uma fraca participação na Copa do Mundo e as cobranças de sempre, justificam um descanso para o principal jogador do país. Maradona chega a defender a aposentadoria de Messi na seleção, um absurdo. Outra ausência foi Kun Aguero ( Foto ), ídolo no Manchester City, 30 anos, artilheiro por onde jogou, média de quase meio gol por jogo, autor do primeiro gol da Argentina na Copa da Rússia, vive fase boa e colocou no banco de reservas de seu time, o brasileiro Gabriel Jesus. Só o fato de ganhar posição do promissor brasileiro já justificaria a convocação de Aguero. Não chamar o jogador alegando questões táticas é de deixar os poucos cabelos de Pep Guardiola, técnico de Aguero no Manchester City, arrepiados. Dos sete atacantes convocados por Scaloni, Aguero não fica distante de nenhum. A briga maior por posição seria com Icardi da Internazionale. Tem espaço para os dois atacantes, mesmo num processo de renovação. Aliás, renovação interina. Nem o treinador da seleção é definitivo após a Copa do Mundo. Na seleção, Aguero não é o mesmo matador do que nos clubes onde atua, mesmo assim tem bons números. Até parece que a relação que teve com a filha mais nova de Maradona atrapalha mais do que ajuda Aguero na seleção argentina.