top of page
  • Foto do escritorFutebol em Rede

COXA BAMBA


O Coritiba voltou a viver o drama do sobe e desce na divisão de elite do futebol brasileiro. No desespero, resolveu agitar o Alto da Glória com mudanças radicais. Demitiu o treinador paraguaio Gustavo Morinigo ( Foto - @Coritiba ), mexeu no futebol com a saída de Renê Simões e afastou jogadores. Foi rápido no gatilho e anunciou Guto Ferreira como como comandante. O risco de cair para a série B existe e faltam 16 jogos para evitar o desastre.


A saída de Morinigo não surpreende. Só 33 % de aproveitamento na elite nacional, três vitórias em quinze jogos e três derrotas seguidas. O paraguaio foi uma aposta. Fez seu primeiro trabalho no exterior, conseguiu acesso para a elite nacional na temporada passada e conquistou o Campeonato Paranaense, o que agrega prestígio para o treinador, mas nem tanto para o clube. O Campeonato Paranaense é disputado entre os grandes do Paraná com times alternativos e o acesso veio com um terceiro lugar na temporada passada.


Para piorar, não houve encaixe no time. Igor Paixão de 22 anos virou esperança e destaque, nada mais. No elenco com jogadores rodados como o zagueiro Henrique, Egídio, Léo Gamalho e três estrangeiros, o único detalhe estatístico alcançado foi o maior número de expulsões (oito) na competição. Bastou entrar na zona de rebaixamento e o pânico aconteceu, cobrando mudanças. O Coritiba vive o trauma do elevador, sobe e desce na competição nacional e o temor do sétimo rebaixamento é real.


A aposta em Morinigo foi desastrada para quem sonhava mudar de patamar. Um treinador novato e estrangeiro, sem conquistas importantes, não deu certo. Foram 43 jogos no total, 19 vitórias, 9 empates e 15 derrotas (51% de aproveitamento no geral). No desespero, o Coxa contratou Boschilia, Rafael Santos e meia dúzia de coadjuvantes. Afastou quatro do elenco, entre eles o folclórico Neilton e Thonny Anderson, segundo em assistências na temporada. Para evitar o naufrágio, anunciou Guto Ferreira como novo comandante.


Guto Ferreira tem muito mais curriculum. Ganhou duas Copas do Nordeste (Ceará e Bahia), foi campeão estadual com Sport, Bahia e Chapecoense. Pode não ser um treinador top, mas conhece a competição e os adversários. Manter-se na elite será difícil, mas não impossível. Fato. O Coritiba está muito longe do time que ganhou duas vezes a série B (2007/2010) e quilômetros de distância do time que foi campeão nacional em 1985. Não ser rebaixado será um feito louvável para o novo treinador.



Comments


bottom of page