• Futebol em Rede

Besta ou bestial

Besta ou bestial é a dúvida da torcida do Flamengo sobre o técnico português Jorge Jesus ( Foto – Divulgação ). Ainda mais, depois da bagunça tática implantada no jogo contra o Emelec, derrota 2 a zero, pela Libertadores. O esquema Zorra Total foi implantado num jogo eliminatório, fora de casa. Como resultado, o Flamengo terá que fazer três gols de diferença, no Maracanã, para seguir vivo na competição. Jesus terá que fazer milagre.

Explicando o esquema Zorra Total do gajo. Dois laterais na direita. Um meia na ponta esquerda. Um ponta pelo meio. Um atacante na armação e um armador como volante. Isso sem contar que Rafinha jogava na esquerda na Alemanha, Gerson nunca foi atacante e Bruno Henrique, velocista, jogou parado entre os zagueiros. Parece que, a bagunça não deu certo. Além disso, a Zorra foi implantada de uma única vez e fora de casa. Bestial.

Certamente, apontar Jesus como culpado pela tragédia da derrota é simples. O gajo foi contratado por ser três vezes campeão português em vinte anos de carreira. Longe de ser um Mourinho. Além disso, sua experiência fora de Portugal é restrita ao Al-Hilal. Não é possível, com todo respeito, esperar uma revolução tática de alguém com esse perfil. Foi uma aposta besta, que se der certo, será bestial. Por enquanto, que justifique o nome e como Jesus, prepare-se para fazer um milagre no Maracanã ou durará pouco e será crucificado.

#Flamengo