• Futebol em Rede

A COPA DE 82 E A GRANDE MANCADA

Olá amigos do Futebol em Rede!



Estamos às vésperas do Mundial do Catar.


Das que acompanhei, como torcedor dos 12 aos 19 anos (50,54 e 58) e depois jornalista, sendo na de 86 o assessor de imprensa da Seleção, vou lembrar - é meu entendimento - a nossa grande mancada de 82, a da Espanha;


Essa Copa da Espanha ficou enriquecida e na memória de todos os amantes do futebol, principalmente pela participação da Seleção Brasileira, a do Tele Santana. Era um time extraordinário. Repleta de craques, em meu entendimento, a terceira melhor da nossa história. Não poucos a apontam a melhor (ou a segunda melhor) de todos os tempos. Para mim a melhor foi a de 58 e a segunda a de 70.


Mas, fomos eliminados em Barcelona (estádio de Sarriá), pela Itália que nos venceu por 3 a 2. Paulo Rossi fez os 3 gols italianos e para nós marcaram Sócrates (empatando 1 a 1) e Falcão (empatando 2 a 2). A cada empate do Brasil ficávamos com a esperança de que iríamos vencer de virada. E isso não aconteceu.


Essa eliminação, entendo, teve uma razão: perda de foco. E essa perda de foco, fortaleceu ainda mais a minha convicção de que para se ganhar um mundial a seleção tem de se desligar de tudo. Mundial é um “tiro curto”: um mês. Um mês, 30 dias, que o grupo tem de estar ligado...viver em estado de beligerância (guerra). Claro que “escapadinhas”, “porres” fazem parte. Mas, vamos nos lembrar.


Na sexta-feira que antecedeu a segunda, a da derrota para a Itália, tínhamos vencido a Argentina por 3 a 1. Um show de bola. Então, Tele deu folga para a turma. Folga que iria até a meia noite. O pessoal, no embalo da vitória, “ranhetou” e Tele esticou a “descontração” até as 23 horas do sábado.


O cantor Fágner, muito amigo dos boleiros estava fazendo um show em uma praça de Barcelona. Todos foram pra lá. Depois do show a esticada – e que esticada !!! Muitos “tomaram todas” ... muitos botaram a “escrita” em dia ... aproveitaram mesmo !!! No sábado, “vídeo tape” ! Pouco antes da meia noite voltaram para a concentração, um hotel Castelo. Domingo, véspera do jogo, às 11 horas, janela para a imprensa.


Entrei no Castelo e dou de cara com o Serginho Chulapa, que nós passamos a chamá-lo de “irmã Chulapa”, pois tinha virado uma freira. Tomava sol. Perguntei: “E aí ? Não tem treino?” – resposta dele: “Eu é que sei? Tô aqui na minha. Os carolas estão lá na capela com o Capita (Oscar o capitão do time). Sorri e perguntei a ele: “Vocês sabem que amanhã tem jogo e é contra a Itália?” Resposta dele: “É, tem jogo. Mas não é problema meu. Não sou eu que resolvo ... cumpro ordens. “Ipsis verbis” foi assim o nosso papo.


Dia seguinte, o jogo. Nosso time só entrou no ritmo quase no final do primeiro tempo. E no fim fomos eliminados.


Copa do mundo é “tiro curto”. Os jogadores tem de estar ligados, no clima do Mundial. Vão liberar bebida? Deixem tudo à vontade. Destilados, vinhos, cervejas... mas dentro da concentração. O ambiente fará a turma maneirar... tomar 5 doses, não uma garrafa ... meia dúzia de cervejas, não 20 ... Aquela "saidinha da escrita em dia", os que estão com a família, acontece muito, o dia todo ... 12 hs; os que estão avulsos, 12 hs, no máximo.


Essa é a minha convicção.



COPA É GUERRA !!! E GANHA A GUERRA QUEM ESTÁ PREPARADO PARA ELA E QUER GUERREAR.

Lucas Neto