• Futebol em Rede

A audiência da final da Champions seria a mesma sem Neymar?

A audiência da final da Champions seria a mesma sem Neymar? Os números foram fabulosos no Facebook e no Canal Interativo. Grande trabalho comandado pelo amigo André Hening, que é um narrador da nova safra da TV Brasileira com estilo próprio e sem medo de ser feliz. Neymar hoje atrai de tudo. Se gosta dele vai ver porque gosta dele, mas quem não gosta também quer ver para torcer contra. Não há meio termo quando se trata de Neymar. E há motivos plausíveis dos dois lados. Ele dá motivo para ambos. Defensores e patrulheiros de plantão.



Eu já recriminei muitas vezes Neymar, mas também sempre reconheci seu grande futebol. Essa temporada foi boa. Faltou a vitória na final da Champions, mas chegar até a final não é fácil e tem que se reconhecer isso. Perder uma final contra o forte Bayern Munique por apenas um gol também não é desastroso, é até normal. Mesmo assim o PSG fez Neuer trabalhar e para mim o quase intransponível goleiro alemão foi um dos melhores do jogo, prova que não foi tão fácil assim para os germânicos.



Mas esperava-se mais de Neymar como também de Mbappé e Cia. Di Maria e Marquinhos jogaram muito, na minha opinião. Aliás, não entendi porque Di Maria foi substituído porque estava bem no jogo. Vai ver que cansou, a gente a distância não tem todas as informações.



Por isso também acho que se Neymar não estivesse na final a audiência seria ainda sim muito grande no Brasil, mas bem menor do que foi. A presença de Neymar alavancou a audiência. A final por si só e nem Lewandowski sozinho conseguiriam tal feito em nosso país. Quer queiram, quer não, com seus defeitos e suas virtudes, Neymar é o principal nome do futebol brasileiro. Tomara que ele continue pensando mais em futebol que na vida social e nas redes sociais. Melhor para ele e melhor para o futebol, mas aí é com ele, não comigo.