• Futebol Alternativo

É uma casa BAGUNÇADA com certeza

Amália Rodrigues, a rainha do fado, cantava com orgulho sobre a hospitalidade e a beleza da casa portuguesa em canção de 1953 que ficou eternizada como uma das maiores e mais conhecidas músicas portuguesas da história. Aqui no Brasil, a torcida da Portuguesa entoa com o mesmo orgulho que Amália o famoso fado nos jogos do time no Canindé. O problema é que ao contrário da Casa Portuguesa citada na canção, a casa no Canindé não tem "Um cheirinho à alecrim" tem mais é um cheiro podre e tosco e nem tem também "Quatro paredes caiadas" e sim paredes cheias de rachaduras e prontas para desmoronar que lembram mais uma construção do Sérgio Naya. A derrota para o Caxias e a consequente eliminação da série D do campeonato brasileiro escancarou novamente todas essas rachaduras que pareciam estar tapadas e resolvidas, mas estão aparecendo mais uma vez para prejudicar a reconstrução do time que a cada dia que passa mais parece impossível de acontecer. Tudo começa com a pressão da torcida para demissão do treinador Fernando Marchiori, que sim é o principal culpado pela eliminação da Série D, mas também é o responsável por recolocar a Portuguesa no cenário nacional e por dar um título ao clube depois de algum tempo. Marchiori errou muito na fatídica eliminação para equipe Gaúcha, foi medroso, não soube enxergar a postura defensiva do adversário fraco e foi castigado por omissão e por não partir para o ataque quando necessário. Deveria sim sair da Portuguesa, mas não nesse momento. O ideal era esperar o fim da Copa Paulista para reformular o elenco com novo treinador que pudesse montar um time e projeto adaptado ao seu estilo de trabalho. O torcedor da Portuguesa esquece que o time não tem dinheiro para contratar, esquece que o elenco é limitado e esquece principalmente que os tempos de glória acabaram. Já passou da hora do torcedor da Portuguesa perceber que não estamos mais nos anos 80/90, quando a rubro verde era figurinha carimbada no campeonato Brasileiro. Hoje os tempos são outros e nas atuais condições ganhar a copa Paulista para ter direito de retornar ao campeonato Nacional é lucro. E esse lucro Marchiori conquistou e com sobras. Com o que tinha nas mãos, o trabalho era bom. O melhor de um treinador no Canindé em muito tempo.


Mas o mal do torcedor esnobe da Portuguesa é achar que só com peso da camisa, história e tradição o time retornará, é achar que o time tem que voar em campo, golear e jogar bem todo jogo simplesmente por ser a espetacular Portuguesa de Desportos. E por achar isso, passou ameaçar a família do treinador, vazar seu telefone em grupos de Whatsapp. Num espetáculo deprimente...

Para piorar quando os jogadores se unem e se posicionam contra essas atitudes covardes, os mesmos torcedores ficam contra ao pronunciamento dos atletas e passam a cobrar da mesma forma também os jogadores.

Por causa de atitudes como essa que as rachaduras da casa Portuguesa do Canindé só aumentam e cada vez mais vai ficando difícil a reconstrução. Cada vez mais a distância do retorno aos tempos gloriosos fica distante. Por causa de gente que não sabe enxergar a realidade, cobrando de maneira desproporcional o trabalho de quem ainda tenta alguma coisa lá dentro... Se não pode ajudar não atrapalhe... Pois lá de cima Amália Rodrigues que tanto cantou a hospitalidade lusitana está bem triste com péssimo exemplo dado por todos no Canindé.